Terça, 25 de Junho de 2024
21°C 36°C
Palmas, TO
Publicidade

Supremo Tribunal Federal Decide Sobre a Legalidade da Correção do FGTS e Gera Preocupações no Mercado Imobiliário

Nesta quarta-feira, o STF retoma o julgamento que pode alterar o cálculo de correção do FGTS. Advocacia-Geral da União defende mudanças legislativas, enquanto especialistas alertam para possíveis impactos nos financiamentos imobiliários.

08/11/2023 às 12h00 Atualizada em 08/11/2023 às 13h07
Por: Redação Fonte: Redação
Compartilhe:
O julgamento sobre a correção do FGTS pelo STF gera expectativas no mercado imobiliário. A decisão pode impactar financiamentos e investimentos no setor.
O julgamento sobre a correção do FGTS pelo STF gera expectativas no mercado imobiliário. A decisão pode impactar financiamentos e investimentos no setor.

O Supremo Tribunal Federal (STF) está prestes a tomar uma decisão crucial que pode ter repercussões significativas no mercado imobiliário brasileiro. Nesta quarta-feira, o tribunal retomará o julgamento sobre a legalidade do uso da Taxa Referencial (TR) para corrigir as contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O debate foi suspenso em abril deste ano por um pedido de vista feito pelo ministro Nunes Marques, quando o placar da votação estava em 2 a 0 pela inconstitucionalidade do uso da TR para correção do fundo. Segundo esse entendimento, a correção não pode ser inferior à remuneração da poupança.

O caso chegou ao STF por meio de uma ação protocolada em 2014 pelo partido Solidariedade, que argumenta que a correção pela TR, com rendimento próximo de zero por ano, não remunera adequadamente os correntistas, resultando em perdas reais devido à inflação. Desde então, leis foram implementadas, e as contas do FGTS passaram a ser corrigidas com juros de 3% ao ano, além do acréscimo da distribuição de lucros do fundo, juntamente com a correção pela TR.

A Advocacia-Geral da União (AGU) defende a extinção da ação com base em mudanças legislativas recentes, como as leis 13.446/2017 e 13.932/2019, que estabeleceram a distribuição de lucros para os cotistas. De acordo com a AGU, essas mudanças tornam obsoleta a discussão sobre a utilização da TR, uma vez que agora há mecanismos para garantir uma remuneração mais justa aos trabalhadores.

Continua após a publicidade

A decisão do STF desperta grande atenção devido às possíveis consequências para o mercado imobiliário. Caso o tribunal decida a favor da correção do FGTS por um índice que melhor reflita a inflação real, isso poderá resultar em aumentos nos juros dos empréstimos para financiamento da casa própria. Além disso, a União poderá precisar fazer um aporte de cerca de R$ 5 bilhões para compensar possíveis perdas no fundo.

Enquanto o tribunal se prepara para retomar o julgamento, a incerteza paira sobre o setor imobiliário, aguardando a decisão que moldará o futuro dos financiamentos e investimentos neste mercado crucial para a economia brasileira.

Crédito Informação l Agência Brasil

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Direito e Justiça
Sobre o blog/coluna
Ver notícias
Palmas, TO
22°
Tempo nublado

Mín. 21° Máx. 36°

22° Sensação
0.97km/h Vento
49% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h30 Nascer do sol
06h01 Pôr do sol
Qua 37° 21°
Qui 37° 22°
Sex 35° 23°
Sáb 37° 23°
Dom 37° 25°
Atualizado às 01h04
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,39 -0,01%
Euro
R$ 5,79 -0,03%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,57%
Bitcoin
R$ 349,894,56 +2,50%
Ibovespa
122,636,96 pts 1.07%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias